TAPA DE AMOR DÓI


Oiin ovelhaas ;D

carnaval ja passou o/

única coisa boua é o feriadoo … num sei pq.mas nunca gostei de carnaval, deve ser pq nunca fui em um q prestasse :s

maas enfim ,.. shegou minha veez de posta.. e encontrei uma historinha la no jacarebanguela.com.br, ell curti, espero q vcs tbm 😉

TAPA DE AMOR DÓI

“Aos 26 anos eu comecei a namorar uma garota chamada Letícia que morava na Gávea aqui no Rio de Janeiro. O pai dela era aviador aposentado e a mãe professora de geografia. Nos conhecemos no restaurante Hipódromo, que fica no Baixo Gávea, no aniversário do Thomas. Ela era amiga de uma amiga dele e tinha um sorriso lindo acompanhado de um par de olhos azuis e cabelos loiros. Não precisei de muito tempo para me apaixonar pela simpatia dela e o volume interessante que saía do decote do vestido florido que estava usando.

Logo no dia seguinte a gente se encontrou para ir numa festa no Jóquei Clube e, como dizem vocês, nós “ficamos”. Ela fazia pós-graduação em História na PUC e sabia muita coisa sobre assuntos que não me interessavam, mas como o amor é cego e surdo, eu adorava ouvir as histórias que ela tentava me contar enquanto eu dava roubava bitócas. Eu nunca sabia o desfecho das histórias porque o clima ficava quente antes mesmo de qualquer general, desses com nome de rua, levar o seu batalhão para a guerra.

Como eu sabia que o sonho dela era conhecer a Europa, fui guardando grana para dar essa viagem de presente pra ela no dia do resultado da apresentação da monografia. Batata! Foi um ano e pouco saindo pra jantar em restaurantes “legaizinhos” e muito filme com pipoca em casa. No dia da aprovação dela, num jantar na casa dos pais com os tios e primos – ela era filha única – eu mostrei os bilhetes e mandei um “nous allons à Paris?” que segundo meu amigo Cláudio, que pegava uma francesa, significa “vamos à Paris?” – mas eu nunca soube se estava certo ou não.

Arrumamos as malas e uma semana depois estávamos pousando no aeroporto Charles de Gaulle em Paris. Tudo era muito bonito e o sotaque francês –  que pra mim é o mais aviadado possível – fazia a Lê se derreter toda. De vez em quando eu soltava um “Je taime mon amour” só para ver o sorriso da Letícia e ganhar uns beijinhos doces (óóúunn). O Rio Sena na época era simplesmente um Tietê na França e não tinha nada de romântico. Passeamos por tudo e deixamos a Torre Eiffel para o último dia, queríamos fechar a viagem com chave de ouro.

Logo que chegamos, a Letícia teve uma das piores idéias da vida dela, a de subir a torre toda pela escada. Eu, esperto e objetivo, fui de elevador e esperei ela chegar, todo suada, cansada, esbaforida, com o cabelo bagunçado e sem nenhum pingo de bom humor. Como a situação apesar de trágica para ela, era engraçada pra mim, resolvi descontrair o ambiente.

Grande erro.

– E aí, Mulher Maravilha, veio com o teto da nave invisível aberto?

– Porra, calmaí, to cansada.

– Ih, achei que você fosse mais Maravilha do que mulher.

– Você sabe onde eu sou maravilha, né?

– Onde? Na cama? Você faz mais manha que a mulher-gato.

– Se não gostou, porque não falou?

– Porque sexo até quando é ruim é bom.

– Porra! Então procura uma francesa aí e come ela a noite toda!

– A noite toda não seria uma má idéia, elas devem aguentar.

– Vai tomar no cu, Fernando!

– Ih, qualé? Não sabe brincar não sobe pro play. E se subir, vem de elevador na próxima.

– Se não gosta do meu sexo, vai procurar as putas na Champs-Élisées. Quem sabe você realiza o seu sonho de “conhecer Paris melhor”.

– Eu não. Sai mais barato trazer do Brasil.

Tá, eu sei que a piada foi pesada e tudo mais, mas um tapa na cara no alto da torre Eiffel não é a melhor lembrança que você espera ter da sua primeira vez na Cidade Luz. Ela pegou o elevador de volta, fez o check-out no hotel antes de mim e só nos encontramos no avião. Ela trocou de poltrona para não sentar no meu lado e nem nos despedimos no aeroporto. Tentei falar com ela várias vezes mas ela nunca me atendeu e não me recebia mais em casa. Nunca mais a vi e nem sei se está morando no mesmo lugar. Faz tanto tempo.

Eu me arrependo do que fiz. Não deveria ter deixado ela subir a torre Eiffel pela escada.”

Anúncios

2 Respostas to “TAPA DE AMOR DÓI”

  1. Piada violenta, mais eu gostei. UAHEUAHEUAE

  2. A dói sim…..

    Pelo menos a cara é fica vermelhinha e os olhinhos aguados.

    Inté bunito de ver homem chora de amor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: